Os Cinco Dons Ministeriais

07/08/2013 17:25

Os cinco dons ministeriais ainda valem hoje?

 

 “Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas. E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro.” (Efésios 4.10-14)

 

Os dons ministeriais são concedidos diretamente do Senhor Jesus, assentado à destra do Pai com a finalidade de aperfeiçoar o Corpo de Cristo. O objetivo é o amadurecimento da Igreja. A palavra grega “katartismos” traduzida por “aperfeiçoamento”, denota um ajuste e uma preparação plena, através de um processo que vai do início ao fim. A ideia é de “preparar os santos”. No entanto, uma pergunta é comumente feita nos dias atuais: será que todos os dons ministeriais listados na carta aos Efésios ainda são válidos? Esse questionamento tem ocorrido especialmente sobre o ministério apostólico. Por isso, precisamos entender a importância de cada um deles e como funcionam no Corpo de Cristo para que não sejamos induzidos ao erro.

 

Apóstolos

O verbo “apostello” significa enviar alguém em missão especial como mensageiro ou representante pessoal de quem o envia. O termo apóstolo no Novo Testamento é usado com alguns significados: 1) No sentido especial, referia-se àqueles que tinham autoridade ímpar na igreja, no que diz respeito à revelação divina e à mensagem original do evangelho (Os 12 discípulos e Paulo). Além disso, foram comissionados pelo próprio Senhor Jesus e testemunharam Sua ressurreição. 2) Em sentido geral, eram pessoas de destacada liderança espiritual, ungidos com poder para defrontar-se com poderes das trevas e confirmar o evangelho com milagres. Estabeleciam igrejas segundo a pureza e verdade apostólicas.

Segundo Chuck Pierce em seu livro A Futura Guerra da Igreja, são seis as funções do apóstolo:

  1. Governante

Rick Joyner, em Ministério Apostólico, também aponta para esta função. De acordo com o autor, o apóstolo transmite o governo.

  1. Guerreiro

Estruturas demoníacas são rompidas através do ressurgimento do apostólico e do profético.

  1. Paternidade

O apóstolos não são apenas líderes denominacionais, mas pais. Eles assumem a paternidade espiritual e transmitem os princípios do Reino para seus filhos.

  1. Edificação

Os apóstolos recebem de Deus uma unção para edificar e isso inclui a implantação de igrejas.

  1. Enviar

A chama de missões arde no coração do apóstolo. Ele deseja ver as nações rendendo-se ao Senhorio de Jesus Cristo.

  1. Finalização

Conforme Rick Joyner, no mesmo livro citado acima, o “ministério que começou a igreja será o que a encerrará”.

 

A partir dos usos no Novo Testamento, podemos concluir que o ministério apostólico não cessou com os 12 discípulos e Paulo. Ele ainda é essencial hoje para que a igreja chegue a plena maturidade. O mover apostólico busca restaurar e estabelecer os princípios e fundamentos do Reino sob o Governo do Rei dos Reis. Nos últimos dias Deus tem levantado uma geração apostólica que tem o desejo de voltar ao original e sempre que Deus começa a restaurar algo, o inimigo se levanta para trazes distorções. Contudo, declaramos: que venham os verdadeiros apóstolos!

 

Profetas

O ministério profético vai além do dom de profecia. Ele traz a revelação do coração do Pai para a Igreja, atuando como porta-voz de Deus, pois recebe autoridade para comunicar os pensamentos do Senhor. Junto com a unção apostólica, quebra os jugos que vêm contra a Noiva de Cristo. O profeta tem uma alta sensibilidade espiritual, que o possibilita discernir os acontecimentos no mundo espiritual e físico, assim como as forças que os geraram. Além disso, possui uma grande capacidade para compreender símbolos e sinais dados por Deus. O ministério profético tem sempre um cunho de reforma de restauração. Ele traz a preparação, a orientação, mostra o caminho de Deus. Os profetas começam a ver a mudança, o que Deus tem gerado no Reino dos céus.

 

Evangelistas

A palavra evangelista, que significa aquele traz as boas novas ou que é um mensageiro de boas notícias, ocorre apenas três vezes no Novo Testamento. A primeira ocorrência está em Atos 21.8, quando Filipe é chamado de evangelista, a segunda em Efésios 4.11 e a terceira em 2Tm 4.5, quando Paulo instrui Timóteo a fazer “o trabalho de um evangelista”.

O evangelista é equipado com o dom de ganhar almas. Este ministério é seguido por grande colheita de vidas para o Reino de Deus. Não possui um conhecimento profundo da Palavra, mas tem uma unção sobrenatural de milagres e curas. O evangelista é um avivalista.

 

Pastores

O pastor é o líder do rebanho. Possui a unção de consolidar e cuidar, gerando cura na vida das ovelhas. Ele protege o rebanho de lobos, corrige, vai atrás da perdida, sendo, também,  responsável pela alimentação das ovelhas. Se o ministério pastoral não estiver operando apropriadamente, os outros ministérios são praticamente em vão, pois, por exemplo, o evangelista pode ganhar muitas almas, mas quem cuidará delas? Se a unção de pastor não estiver presente, elas rapidamente se desviarão do caminho. As ovelhas precisam de pastores que as ame e ministrem a elas, para que elas possam permanecer e crescer, alcançando os propósitos de Deus para elas.

 

Mestres

O mestre conhece e entende a Palavra de Deus, tendo uma facilidade sobrenatural de ensino. É um estudioso da Bíblia, não necessariamente sendo um mestre em Teologia. Possui um conhecimento vasto e abrangente, estando disposto a ensinar sempre em que há uma oportunidade. Este ministério não é seguido por manifestações sobrenaturais do Espírito Santo. No entanto, é essencial para que maturidade seja alcançada no Corpo de Cristo, já que, com ele, muitos deixam de ser crianças, com um conhecimnto bíblico superficial, e começam a crescer espiritualmente através de uma profundidade maior na Palavra gerada pela atuação do ministério de mestre. Alguns interpretam que o dom de mestre estaria associado ao de pastor pelo fato de não ser antecedido pela palavra grega "de" ("outros"). Contudo, as palavras para pastor e mestre são diferentes no grego: "poimen"  traduzida por pastor e "didaskalos" que significa mestre. Além disso, são unidas pela conjunção "kai" ("e") que dá a ideia de adição. Portanto, entendo que o dom de mestre é o quinto dom ministerial.

 

Precisamos da operação desses cinco dons na Igreja para que cheguemos mais rapidamente ao amadurecimento. Ainda há muitos meninos agitados por ventos. Portanto, necessitamos dos apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres para que alcancemos unidade de fé, maturidade e o pleno conhecimento do Senhor Jesus.

 

Pra. Daniele Carneiro

Assembleia de Deus

Missão Apostólica Vida em Cristo

Voltar

Pesquisar no site

© 2020 Todos os direitos reservados a MAVEC.

Missão Apostólica Vida em Cristo